A parábola do Céu e do Inferno.

Conta-se que certo dia um famoso e hábil Samurai, grande e forte como raros, conhecido pela sua violentíssima índole, foi procurar um sábio Monge que meditava ao Norte durante o Inverno. Encontrando-o em meditação no meio da neve ao pé de uma montanha, não perdeu muito tempo e já lhe foi perguntando em tom de voz duro sobre algo que sempre o atormentara, e com o peso da idade lhe consumia o espírito até o limite do insuportável:

– “Monge, tenho pensado muito nos caminhos que trilhei pela Vida até aqui…em tudo que vi e vivenciei…sobre minhas decisões e anseios…preciso muito de uma resposta….ensina-me de imediato: o que é o Céu e o que é o Inferno?” Continuar lendo A parábola do Céu e do Inferno.

O medo leva a conquista.

Todo guerreiro ja ficou com medo de entrar em combate.
Todo guerreiro já perdeu a fé no futuro.
Todo guerreiro já trilhou um caminho que não era dele.
Todo guerreiro já sofreu por bobagens.
Todo guerreiro já achou que não era guerreiro.
Todo guerreiro já falhou em suas obrigações.

Todo guerreiro já disse “SIM” quando queria dizer “NÃO”.

Todo guerreiro já feriu alguém que amava.
Por isso é um guerreiro; porque passou por estes desafios, e não perdeu a esperança de ser melhor do que era.

Paulo Coelho 

Agora deixo vocês com um vídeo inspirador do filme “O gladiador” com a trilha tema interpretada pela ótima Enya! :)

O mestre de si mesmo.

Estou assistindo no NetFlix um seriado que conta em detalhes a vida do “mestre” aí de cima! Para assistir acesse aqui. Desde criança assistia os filmes dele e gostava dos movimentos rápidos e os vários oponentes que enfrentava. Mas havia algo mais naquele homem! E os filmes com poucos dialogos talvez não retratassem com exatidão isso. Aconselho que assistam esse seriado para conhecer e espelhar suas metas e sonhos como ele fez!

Porque mestre de si mesmo se morreu tão cedo? Não poderia ter aproveitado mais a vida?

o que é ser mestre? O que torna uma pessoa um mestre? Quais os atributos ao indivíduo deve possuir para que seja usada essa palavra tão mística e ao mesmo tempo tão comum?

Um mestre não é visto por quantas pessoas ensinou, e sim por quantas tiveram a capacidade de aprender. Não quantas lutas venceu no decorrer da vida, mas quantas conseguiu evitar. Nunca olhe a quantidade de tijolos que seu mestre vai quebrar, mas a quantidade de exemplos que ele pode lhe dar, em todos os sentidos. Pois, isso é ser mestre, ter a capacidade de dar exemplos.

Ser chamado mestre, vai muito além da arte marcial, do conhecimento filosófico, da qualidade da roupa, ou da linhagem, pois, como “ele dizia” (o cara da foto): “ O conhecimento vem de fora, mas a sabedoria vem de dentro”. Não é a cor da sua faixa, ou seu certificado. Mas sim a sua capacidade de liderar e ao mesmo tempo a humildade de assumir que é um humano, errôneo como qualquer outro.

Saber orientar alguém, poupando-o de suas próprias conclusões. Ser um mapa para o caminho, mas sem doutrinar, mas sim levando a reflexão e auto-questionamento.

O homem na foto provavelmente já reconheceram de cara não é? Continuar lendo O mestre de si mesmo.