Nossa salvação é a morte, mas não esta.

ESTE AFORISMO mostra nossa possibilidade de morrer e renascer no decorrer de uma mesma vida. Vejamos um exemplo concreto disso.

Ceferino Carrión (1928-1996) perdeu o pai e o irmão durante a Segunda Guerra Mundial, quando um torpedo alemão atingiu o barco em que fugiam da fome que assolava a Espanha. Ceferino trabalhou como operário em Barcelona.

Depois rumou para a França, onde foi garçom, e de lá emigrou clandestinamente num navio para os Estados Unidos, tendo lavado pratos durante anos sem saber falar inglês. Pouco a pouco foi aprendendo o idioma e assimilando a cultura do país.

Decidiu mudar-se para Hollywood.
Lá, trocou seu nome para Jean Leon e abriu um restaurante junto com um ator com quem fizera amizade: ninguém menos que James Dean.
Após a morte do amigo num acidente, Jean Leon ficou à frente do La Scala, o “restaurante dos atores”, que serviu a “última ceia” de Marilyn Monroe. Insatisfeito com os vinhos californianos, investiu na Penedés, na Espanha, que passou a criar vinhos especiais para seu restaurante, os quais acabaram por se tornar uma das marcas mais respeitadas da vinícola.

A vida de Jean Leon demonstra que, quaisquer que sejam as circunstâncias, é possível morrer e renascer para o que cada um está destinado a ser.

O Poder do Mito

 

”Dizem que o que todos procuramos é um sentido para a vida. Não penso que seja assim. Penso que o que estamos procurando é uma experiência de estar vivos, de modo que nossas experiências de vida, no plano puramente físico, tenham ressonância no interior do nosso ser e da nossa realidade mais íntimos, de modo que realmente sintamos o enlevo de estar vivos…” – Joseph Campbell

Na verdade, espiritualidade requer que você vá para seu interior e aceite o que encontrar, independente do que seja. Nem tudo o que encontrará será bom ou belo. Mas, enfrentar a si mesmo é um estágio importante para encarar a verdade. E lendo os livros e estudos do renomado professor, escritor e especialista em mitologia e religião comparada, Joseph Campbell, sobre a religiosidade e suas várias facetas, entendemos a “espiral” que pode ser “a verdade”.

Tanto nos meus estudos como escritor (O observador que vos fala), lendo a “Jornada do Herói” para entender o processo criativo que arrebata pessoas no mundo inteiro nos livros de ficção e fantasia, aos estudos que faço como ocultista que me levam a incríveis reflexões nos livros “O poder do Mito” e “As máscaras de Deus” (e seus volumes) me rendo a genialidade desse homem.

Para entender melhor, caro amigo e leitor, convido-o a ver as últimas entrevistas deste que foi um dos gênios do século XX, pouco antes de falecer em 1987. Seja bem vindo ao mundo incrível e “re-descoberto” por de Joseph Campbell. Cuidado pois tudo que acreditava ser as bases de suas crenças podem “ruir”.

O legado de Campbell para a humanidade é inestimável e os que assistirem as entrevistas e refletirem em suas declarações irão compreender em seus corações e mentes.

Mas digo pra melhor muito MELHOR!

Os livros escritos por Campbell e detalhes vocês consegue aqui.

Bom filme! 😉

O Poder Do Mito, por Joseph Campbell

Entrevista com Joseph Campbell (1904-1987), mitólogo norte-americano, feita pelo jornalista Bill Moyer.

Os estudos independentes de Campbell levaram-no a uma análise profunda das ideias do psicólogo Carl Jung e de Sigmund Freud. Altamente influenciado pela psicnálise jungeriana, Campbell escreveu ,em 1949, o livro The Hero with a Thousand Faces (“O Herói de Mil Faces”) . A entrevista é dividida em 6 temas:

1º A Mensagem do Mito — Campbell compara a história da criação de Gênesis com as histórias de criação no mundo de outras culturas

.

2º: A Saga do Herói — Muito antes dos cavaleiros medievais se encarregarem de matar dragões, os contos de aventuras heróicas já faziam parte de todas as culturas mundiais. Campbell nos desafia a ver a presença de uma jornada heróica em nossas vidas. Continuar lendo O Poder do Mito

A semente de mostarda

 

Certa mãe, desesperada com a morte do filho, procurou Buda. Pedia que a curasse da dor que tal perda provocava.
– A cura é simples – disse Buda. – Chá com semente de mostarda.
Mais tranquila, a mulher se preparava para ir ao mercado comprar as sementes, quando Buda advertiu:
– Mas as sementes têm que ser colhidas no jardim de uma casa onde seus habitantes nunca tenham perdido alguém que amavam.
Dois anos depois, a mulher voltou.
– Então, encontrou as sementes de mostarda? – perguntou Buda.
– Eu estava fechada em minha dor, não entendia que a morte é parte da vida – disse ela. – Mas descobri que tal jardim não existe; todo mundo já perdeu uma pessoa querida. E todos sobreviveram ao sofrimento. Meu coração está em paz. Sei que posso conviver com a dor e seguir adiante…

Nove passos para renovação pessoal.

1. Pensar gasta energia, e todos nós sabemos disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos – mal comum ao homem ocidental, torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para nossas vidas.

 2. Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam Continuar lendo Nove passos para renovação pessoal.