O cientista da alma e sua ciência.

Cientista da Alma = mago

Um magista(mago) é como um cientista e ao mesmo tempo um astronauta, um cientista da Alma, lançando mão de certas ferramentas para atingir o conhecimento necessário à seu intento. Ele estuda exaustivamente o funcionamento do Universo “visível” e “invisível”, interiorizando todas as leis e regras que os regem.

No entanto, algumas leis podem ser simplificadas e entendidas em seu conceito mais básico. O principal desses conceitos básicos é: “Tudo é Mental!”

 Todo o Universo responde à mente do observador. Assim como os físicos quânticos estão verificando atualmente, os Magos há muito já sabem que a realidade se comporta de acordo com a percepção de quem a vê, e não o contrário, como se costuma imaginar. Na prática é como dizer que, se você acorda pela manhã e tem um banheiro perto para você ir escovar os dentes é porque você “espera” ou “escolhe” que este banheiro esteja lá. Se você “esperava” o banheiro e ele não apareceu, talvez você queira fazer um check-up da sua percepção de realidade. Pode ser que o whisky da noite passada o tenha alterado. 😉

Ser um mago é, antes de tudo, assumir-se capaz de alterar a realidade. É ver-se imagem e semelhança de Deus e admitir carregar dentro de si a Fagulha Divina entregue no Sopro da Vida. Porém, é também assumir total responsabilidade por suas ações, e pelas respectivas reações. É parar de culpar outros por coisas que acontecem em sua própria vida, e parar de se deixar subjugar por forças ocultas incompreensíveis. Ser Mago é ser um anarquista cósmico, e o maior seguidor das regras do Universo. É assumir o absurdo e o paradoxal como parte do cotidiano, e conviver no limiar do correto, legal, moral e consciente. O limiar às vezes cruza uma linha perigosa e tênue. (Dion você não é culpado! :) )

Sim e não, todo mundo pode se tornar um mago. Admitir que se veja à “imagem e semelhança” de um deus criador, seja ele qual for, é necessário para ser um mago. De certa forma, todo mundo é mago por fazer alterações menores na realidade, mas um mago é alguém que faz isso com consciência e vontade e não sem querer. Mas “tornar-se um mago” quer dizer apenas “praticar a Criação Divina”, não “tornar-se ô Deus”. Isto é outro processo, discutido e estudado no ocultismo. Então, ao se declarar um mago, você continua sendo apenas um “ser humano normal”, com todas as limitações que tinha antes, mas com alguns conhecimentos além…

Ciência do Espírito = magia

Para conseguir explicar Magia, antes precisamos passar o olho em nosso conceito de realidade. O que é real? Como se define realidade?

e você está falando daquilo que pode sentir, cheirar, tocar e ver, então “real” são apenas impulsos elétricos interpretados pelo nosso cérebro. Na prática, nós não dissociamos o que acontece fora de nós, no Macrocosmo ou no Universo Visível, daquilo que acontece dentro de nós, no Microcosmo ou Universo Invisível.

Por exemplo: quando temos uma discussão com alguém, nosso batimento cardíaco acelera, as glândulas de suor trabalham mais e recebemos injeções de adrenalina na corrente sanguínea. O divertido é que essa discussão não precisa ser real: nosso corpo reagirá exatamente do mesmo jeito se imaginarmos a cena e permitirmos que nossa mente entre nela o suficiente. Já sonhou que estava correndo e acordou ofegante?

Na Magia, Universo Visível é toda a matéria física, mesmo que se fale de ondas e energias como o rádio e a eletricidade. Invisível é tudo o que não pode receber essa objetividade da matéria. Pensamentos são o melhor exemplo. Nenhum cientista consegue explicar o pensamento a não ser com “impulsos elétricos, sinapses e sopa de hormônios”. Mas na verdade, o pensamento ‘reside’ em outra parte do Cosmos, o Universo Invisível.

Além do pensamento, as sensações também são um excelente exemplo. Quando se tem a sensação de alguma coisa, essa sensação veio de onde? De algo que está de fato ali, ou algo que está apenas em nossa mente? Se uma árvore cai no meio da floresta, sem ninguém por perto pra escutar, ela faz barulho?

Magia é a arte de brincar com estes limites cósmicos. Atravessar de um lado para outro conforme o necessário. O Universo Visível responde à sua Mente tanto quanto sua Mente responde ao Universo Visível. Afinal, onde começa o Macrocosmo e termina o Microcosmo?

Para chegar ao ponto das grandes alterações, no entanto, é necessário compreender certos mecanismos de funcionamento desse Cosmos. Um cientista não observa simplesmente os átomos. Ele precisa de ferramentas e conhecimentos específicos sobre o assunto.

Magia não depende de uma crença em um Deus Criador, não depende de credo algum. Você pode ser Católico e ser Mago, pode ser Satanista e ser Mago, pode ser ateu e ser Mago, e todos vão ter as mesmas práticas Mágicas. Porém podendo talvez absorver filosofias distintas com algum resultado ao fim de um ato mágico.

Existem Ordens Esotéricas que têm a função principal de Iniciar os aspirantes a Mago, dando-lhes uma instrução e um guia de estudos. É como uma escola à distância, sem professores, em que você recebe o material na sua casa e o estuda, aplicando-se para provas vez por outra. Para os interessados, indico o Colégio dos Magos.

Contudo, existem Magos autodidatas, que buscam seu conhecimento sem guias ou professores. Porém estão propensos a tropeços e erros, mas o resultado será uma base de conhecimento muito mais personalizada.

Existe uma tradição de que a Magia é e deve ser mantida esotérica, ou seja, guardada do grande público. Apesar de hoje em dia essa Tradição estar quase obsoleta, os grandes segredos da Magia ainda estão velados dentro dela mesma. Segundo, nem todo mundo acredita que isso seja real e possível. A grande maioria associa Magia à “Harry Potter”, o que não tem necessariamente relação!

E tem gente que sequer ouviu falar que praticar Magia seja algo possível. Terceiro, muita gente associa Magia à Umbanda, ao Diabo e ao Mal, o que, não tem relação nenhuma.

E por último, mesmo quem chega a ter contato com a possibilidade real da prática acaba esbarrando em preguiça, maus-hábitos e desorganização! As vezes a vida pessoal traga nossa vontade, e praticar algo mágico se torna uma operação hercúlea! Imprescindível ser bem organizado. Resumindo, numa era de ciência, tecnologia e razão, os Magos se tornaram raros!

Um ponto fundamental, é que o objetivo real da Magia, não é fazer chover (mesmo que seja possível). Magia é mais uma ferramenta para evolução espiritual pessoal, um molde para que você se torne uma pessoa cada vez melhor.

Os “poderes” são consequência disso. 😉

Na prática, é como os heróis dos quadrinhos e das mitologias antigas: pessoas normais que ganham poderes e precisam ser melhores e mais capazes para conseguir lidar com isso.

Magia é algo subjetivo, insubstancial e imensurável. Não se prova a existência, nem a inexistência dela. Pode-se, no entanto, experimentar Magia. Ela deve ser praticada e testada!

Não acredite em nada do que estou dizendo! Estude e verifique por si próprio!

No entanto, existem coisas que são puras práticas mágicas, que fazemos e nem percebemos. Por exemplo, se nos levantarmos um dia e saímos de casa imaginando que “Hoje vou perder o ônibus, porque fiquei dois minutos a mais na cama”, é exatamente o que vai acontecer! Interessante que se você pensar em perder o ônibus, mas não pensar em chegar atrasado no trabalho, você perde o bendito mas ainda chega na hora. Nem sei quantas vezes ouvi alguém comentar “quanta sorte” teve de isso ter acontecido. Na verdade, a pessoa moldou toda a realidade e não percebeu.

Posso ser um Mago?

Qualquer um pode. Há, no entanto, alguns pré-requisitos.

Força de vontade é essencial. Se você não a tem, cultive-a enquanto começa seus estudos. Faça-a crescer.

Rejeite a noção de autoridade. Hierarquia não demanda uma figura autoritária. Essa é uma noção falha que vai atrapalhar muito seu caminho, te fazendo esbarrar em conceitos vagos como moral e ética.

Desfaça todas as suas crenças, uma a uma. Em geral, tudo o que você é forçado a acreditar desde pequeno é mentira ou é um conceito de terceiros, que nada tem a ver com sua vida, e agarrar-se a esses conceitos irá te impedir de caminhar; ao desfazê-los você abre caminho para novos conceitos e, portanto, uma nova percepção da realidade.

Estude! Leia todos os magos que conhecer, e busque todos os livros relacionados ao assunto. Esqueça tudo o que estudou e pratique! A prática faz a perfeição e o hábito faz o monge. Nunca abandone o Grimório. Anote absolutamente tudo o que puder, e quando não souber o que praticar, releia seu diário mágico. Anote o que experimentou durante a leitura.

Ao entrar nesse “novo mundo”, você não vai conseguir se afastar da Magia. Qualquer um que decida se enveredar por estes caminhos deve saber que, uma vez que você saia da “Matrix”, não existe retorno.

É um caminho sem volta!;)